quinta-feira, 15 de maio de 2008

Animal Hospital - versão portuguesa

No Hospital existe uma hierarquia estabelecida que dificilmente será alguma vez abalada.
Em primeiro lugar, no topo da cadeia alimentar, estão os Médicos Veterinários (MV). São seguidos pelas Auxiliares, que podem tratar por "tu" o MV e têm poder sobre ditador sobre os Estagiários, seres inferiores sem autorização para tirar sangue. Depois, vêem os Pacientes, leia-se Cãozinho e Gatinho, e depois destes os estudantes.

As funções dos estudantes são de extrema importância e não restam dúvidas do quão impriscindíveis são para o correcto funcionamento do Hospital:

1 - A principal e mais importnate função do estudante é olhar a parede. Olhar a parede é subvalorizado em outras instituções de ensino pois é precisamente por olhar durante horas para as paredes que estas se encontram com rachas e infiltrações, apesar da tenra idade das instalações.

2 - As funções secundárias dos estudantes não devem ser menosprezadas, porque são elas que no fundo permitem que o funcionamento do Hospital decorra dentro da normalidade:
  • ir à máquina tirar um café para o MV. Esta é uma tarefa que exige concentração e leitura óptica (literalmente a olho e sem auxílio de aparelhos) do nível de insulina dos MV. O estudante deve saber, ao olhar para o MV, se ele é ou não diabético porque se colocar aç'ucar no café pode ser acusado de homicídio em 1º grau.
  • ir buscar análises. Ninguém no seu perfeito estado de saúde mental se atreve a ir buscar as análises ao laboratório, pois é facto, e não lenda, que muitas pessoas não voltaram depois de uma incursão ao dito laboratório. No laboratório de análises existem mulheres de aparência perfeitamente inocente que, se lhes fizerem A Pergunta, se tranformam em monstros de três cabeças, com dentes afiados e 16 membros com ventosas! A Pergunta, vou escrevê-la aqui para o caso de alguém ter de ir buscar alguma análise, é: "As análises do (nome do Paciente) estão prontas?".
  • ir passear os Cães. É de longe a melhor tarefa que o estudante tem para fazer. Não é perigosa, na maioria das vezes, e exige movimentação (o que é conveniente que ocorra algures entre as 5h de turno no hospital). Claro que não é didática, mas tem o seu quê de dificuldade: é preciso ter cuidado com os sistemas de soro, não vá o Cão tropeçar.
A boa notícia é que o estudante passa directamente a Estagiário (não tem que ser Paciente) e depois pode passar directamente para MV sem parar na função de Auxiliar. Uma vez MV tudo lhe correrá de feição, a não ser que seja diabético e lhe dêem um café com açúcar.

5 comentários:

Luisa disse...

Fabuloso, como sempre :)

Madalena disse...

LOL =) mt bom!

Scorpion On Fire disse...

Essa é só parte da realidade do nosso hospital...
Sim, faltou-te o capítulo dedicado às recepcionistas. O capítulo do Kilovolt bem como as horas que o pessoal passa no msn e no google-earth... lol
Devo dizer que já tive de andar atrás de um cão (com a respectiva dona), com uma tacinha de comida vazia à espera e implorando que o cão urina-se para dentro dela...
Após várias pingas na minha bata, lá consegui 2 ou 3 ml de urina... ufa...

Scorpion On Fire disse...

Sabem, sabem... até dá para ver os morangos com açúcar (novela odiosa da TVI) enquanto conto as asas das moscas que passam! lol

Ana disse...

é a mesma coisa em medicina. bem,quer dizer... excepto a parte de passear os cães. mas quanto às paredes identifico-me muito, apesar de nós ser mais segurar paredes. estamos mesmo profissionais nisso.