domingo, 20 de dezembro de 2009

Aprendizagem clínica - o legado

Todos os congressos de cariz formativo em Medicina Veterinária são sem dúvida uma experiencia única e inigualável. Oportunidades raras de adquirir conhecimentos esquecidos e ostracizados nas mentes dos mais experientes e antigos Veterinários de campo, esses guerreiros do mato e da planicíe…
Os referidos conhecimentos jamais são transmitidos às gerações vindouras por outro canal que não sejam estes congressos, palestras ou formações, uma vez que a vida de campo exige cedo erguer e tarde tomar duche, não tendo os distintos Senhores a oportunidade de publicar a sua magnífica experiencia de campo, nem de partilhar a sua maravilhosa e diversa casuística.
No presente mês estive numa destas datas especiais, a cerca de 360 Km de casa para ter o prazer de ouvir os grandes chefes do saber na área da Clinica dos Grandes Animais!
Fantástico, o americano, Mr. Kevin Something esteve horas a dissertar sobre as urgências e a reanimação cardiorespiratória, recorrendo a vídeos fantásticos de acção e suspense. Nestes vídeos, com uma classificação semelhante aos mais trágicos episódios de “E.R”, os seres reanimados, ao invés de serem loiras ou morenas estonteantes, dotadas de curvas perigosas, eram equídeos de grande porte, fedorentos, babados, ensaguentados e esgazeados.
Fantástico! - Exclama a plateia, melhor só se as imagens fossem de alta definição.
Quando o Kevinzito resolve descansar, e depois de uma Catedrática discursar sobre fisiologia e problemas podais, entra em acção um ex-líbris nortenho da clínica de bovinos.
Eis o que aprendemos sobre as Emergências Clínicas em Bovinos:
- “Normalmente quando chegamos ao local o car*l** da baca está para explodir, e perdemos a filha da p*t*!”.
- “Mesmo que não haja nada a fazer e ela já estiver perto de Jesus, picamo-la sempre.”
- “O antibiótico mais adequado é sem dúvida…escolhido por cada um de vós…”
- “As situações que vos aparecem já vocês sabem quais são!”
- “Se não sabem o que é, necrópsia com a baca e logo ficam a saber quando a gaija estiver aberta!”
- “ A fluidoterapia não tem nada que saber.”
Releio os meus apontamentos e sorrio satisfeita, valeu a pena, sem dúvida, ouvir este ex-líbris, guardo religiosamente os ensinamentos preciosos que me guiarão no meu futuro de prática clínica. A chave de todo o conhecimento sobre o mistério Bovino!

3 comentários:

Auguste disse...

"Se não souberem o que fazer, isso explode-vos na cara.. Depois logo vêem o que correu mal" - conselho informático.


Chego à conclusão que..

Na vida (qualquer trabalho), as regras são sempre as mesmas. É preciso é saber adaptá-las à situação. Para isso podemos sempre contar com a sapiência dos professores e magníficos ilustres "palestrantes" para nos mostrarem a luz.

Interessante. O que se aprende nestes vossos posts =P
*

Uma voz qualquer disse...

LOL, omg, no fundo no fundo, não há que temer jovem veterinário, pois o que se ensina é que as acções tomadas com a dita gaja vaca são sensatas e ponderadas e sempre racionalmente raciocinadas. Lá está: "fluidoterapia?? FULL speed!!"

Anónimo disse...

se esse ex-libris continuar a ir aos ditos congressos talvez comece a ter algumas Dúvidas até lá ide lendo nas entre-linhas...