terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Animal Hospital

Os meus amigos gostam de partilhar comigo as suas experiências particulares, o que eu acho excelente. Só não acho excelente quando a conversa começa com "Sabes aquela série que dá na Sic Mulher, num hospital veterinário?". Quando a conversa começa assim, é possível visualizar fumo a sair dos meus meatos acústicos externos, mas é preciso ter alguma atenção, porque normalmente o cabelo disfarça este fenómeno que tão bem caracteriza o meu estado de espírito quando ouço esta frase pela vigésima quinta vez na semana.
"Sabes aquela série que dá na Sic Mulher, Animal Hospital?"
"Sim, mas não vejo."
"Ohh, porquê? É tão gira!"
"Porque o meu dia-a-dia é exactamente aquilo que vês, por isso quando chego a casa não quero ver mais; quero ver séries fictícias ou estupidificantes. Qualquer coisa que não tenha a ver com veterinária."
"Ahh..."
E com isto penso ter posto um ponto final à conversa. Mas não...
"É que no outro dia foi tão engraçado, porque tratava-se de uma iguana que tinha engolido uma pedra enorme, via-se ao raio X e tudo! Sabes porquê?"
"Porque tinha falta de minerais."
"Sim! Foi isso que o veterinário disse! Viste esse episódio então!"
"Não, não vi..."
Era uma dica, mas pelos vistos foi demasiado subtil...
"E então o veterinário deu-lhe uma coisa na boca com uma seringa..."
"Parafina."
"Sim, exacto! E depois a pedra saiu..."
"No cocó, eu sei."
"Pois! Como é que sabes?"

Quando estiverem com um estudante de veterinária NÃO perguntem se conhece "aquela série que dá na Sic Mulher, Animal Hospital". É a mesma coisa que perguntar a um estudante de Medicina se já escolheu a especialidade (isto é uma dica...).

5 comentários:

Luisa disse...

Confesso que fui uma dessas pessoas, mas apenas uma vez, e que vi o fumo a sair das orelhas. Mas não protagonizei o fantástico episódio da iguana, parei aos primeiros sinais e berros contra o famoso hospital.

Vanessa disse...

"One day, in a bad camp", vi um episodio do Animal Hospital em que uma senhora teve de lá ir a uma consulta de psicologia suína porque o seu porco de estimação estava sob stress e roeu a orelha esquerda toda ao seu pinscher miniatura! Tinha de ser na Inglaterra

luisa disse...

Confesso, a imagem da Mariana a deitar fumo é tão forte que me esqueço que afinal quando mencionei o dito hospital contei na mesma a história que eu tinha visto, apesar de tudo. Era melhor que a iguana, na minha opinião. Era de ovelhas. A Mariana fala tanto em ovelhas que pensei que se interessasse. Não se interessou, também já sabia o que eu ia dizer, mas contei na mesma, muahahah. Resumindo, uma ovelha tivera 3 memés, outra 1. Eles queriam lá na quinta que a segunda adoptasse um memé da primeira para a coisa ficar mais equilibrada. Ora para tal pegaram no terceiro, amarraram-lhe as patas para parecer um recém-nascido aos olhos da segunda ovelha e esfregaram-no nos fluídos todos resultantes do parto do memé que ela tinha tido, inclusive no behind da dita. Primeiro o focinho,que é o sítio onde ela vai lamber primeiro. Finalmente, pegaram nos 3, mamã e dois memés, e meteram-nos num compartimento para se habituarem. Voilá, achei fantástico. A mariana, por seu lado, rabujou que era sempre assim, e mais fumo saiu das orelhas. Eu mantive-me maravilhada.

Tiago disse...

luisa, a tua lata surpreende-me!!

Mariana disse...

Nem acredito que os comentários a este post são decrições de episódios de Animal Hospital... E agora entendem o que eu digo? É impossivel escapar desta maldita sina... a Luísa, apesar de todos os meus esforços para educar os amigos de veterinários, conseguiu dar a volta de modo a que eu tivesse de vivenciar de novo a cena... Tenho de abrir uma janela que mal vejo o teclado com a fumarada! Há aí uma conspiração de certeza! Big Brother is always watchig you...